NOTÍCIA

Sedãs médios em 2018: Toyota Corolla lidera com folga, mas recua 7 mil unidades

 
Segmento que vem perdendo espaço na composição do mercado brasileiro – em 2018, as 127.751 unidades vendidas representaram apenas 5,17% do total de 2.470.654 veículos novos -, os sedãs médios não tiveram grandes novidades na relação dos primeiros colocados.
 
Sem concorrência pelo quinto ano consecutivo, o Corolla encerrou o ano com 59.062 unidades, aproximadamente sete mil a menos do que em 2017 (queda de quase 11%). O best-seller da Toyota não vendia assim desde 2013 (54.103), quando encerrou o ano na segunda posição. Praticamente estável sobre o ano anterior, o Honda Civic (25.942) encurtou sua desvantagem de mais de 40 mil para menos de 35 mil unidades.
 
 
Com seu melhor desempenho desde 2014, o Chevrolet Cruze Sedan (19.828) repetiu o pódio dos anos anteriores. Já o Nissan Sentra (4.422), sexto em 2017, subiu duas posições ao crescer quase 15%. Ainda assim, este resultado representa menos de 1/3 do total emplacado em 2014 (14.270), o melhor ano da atual geração.
 
A vantagem em relação ao quinto colocado, no entanto, foi muito pequena: com 4.403 unidades, o Jetta foi o destaque negativo do ano. Mesmo com nova geração lançada nos últimos meses, o representante da VW perdeu quase 43% de suas vendas e viu cair para menos de 150 unidades a sua vantagem sobre o Ford Focus Fastback (4.256).
 
 
O C4 Lounge repetiu a sétima posição de 2017, mas com resultado ainda mais fraco. Mesmo com reestilização, o Citroën não foi além das 3.229 unidades, uma média inferior a 300 unidades mensais. Reforçado por promoções no início do 1º semestre, o Cerato cresceu mais de 50% e subiu da nona para a oitava colocação.
 
O crescimento mais expressivo foi do Mitsubishi Lancer, que saltou de 422 para 1.633 emplacamentos e assegurou um lugar no top 10. Já o Hyundai Elantra, com 1.072 unidades, viu as vendas recuarem mais de 50%. Em seu ano mais fraco desde o lançamento, o Peugeot 408 foi o preferido por apenas 739 consumidores, pouco mais do que as 688 unidades de um Renault Fluence que já deixou de ser produzido na unidade da marca francesa na Argentina. Os chineses JAC J5 (3) e Geely EC7 (2) fecharam a lista.
 
 
Em dezembro
 
O segmento encerrou dezembro com mais um número negativo. Em baixa na casa dos dois dígitos entre junho e setembro, as vendas de sedãs médios (10.317) caíram quase 17% no mês passado em relação ao mesmo período de 2017. O líder foi o grande responsável pelo número negativo.
 
Dono de mais da metade das vendas, o Corolla (5.182) perdeu mais de 21% de seus compradores. Civic (1.974) e Cruze (1.696), que novamente completaram o pódio, cresceram. Em seu quarto mês de mercado, o Jetta subiu para quarto, mas com apenas 404 emplacamentos – menos de 10% do 1º colocado e com quase 36% abaixo do total de dezembro do ano passado.
 
 
Quarto em novembro, o Sentra (335) completou as cinco primeiras posições. Um dos destaques da lista, o Cerato (241) subiu para o sexto lugar com seu melhor resultado desde maio. Sétimo, o Focus Fastback (191) não vendia tão pouco desde janeiro de 2002, último mês com dados ainda divulgados pela Fenabrave.
 
O mês também foi péssimo para os franceses e para um sul-coreano. Atrás do Lancer (155), o C4 Lounge (105) atingiu o seu nível mais crítico desde setembro de 2013, quando começou a ser oficialmente distribuído. Já o 408, com apenas 16 unidades, teve o seu segundo pior resultado desde janeiro de 2011 (36), quando teve as primeiras unidades emplacadas no Brasil. Para o Elantra foram apenas 15 emplacamentos, pior resultado desde setembro de 2011, quando registrou suas primeiras unidades.
 

Fonte: motor1.uol.com.br