NOTÍCIA

Hyundai investiga resultados diferentes dos dois testes do HB20 pelo Latin NCAP

 
Quatro dias após a divulgação de uma auditoria do Latin NCAP (Programa de Avaliação de Veículos Novos para a América Latina e o Caribe), em que o Hyundai HB20 perdeu três das quatro estrelas que tinha conquistado na primeira bateria de testes de impacto realizada no ano passado, a fabricante coreana instalada no Brasil, onde o carro é fabricado em Piracicaba (SP), emitiu comunicado em que afirma estar investigando os testes para entender como foi possível resultados tão diferentes e, se necessário, tomar providências para corrigir o problema.
 
“A Hyundai está investigando profundamente os testes do Latin NCAP a fim de entender a causa real para resultados tão diferentes entre o recente teste de auditoria e o teste original de setembro de 2019”, afirma a fabricante em nota distribuída na terça-feira, 13. “Nenhuma conclusão pode ser elaborada antes dessa investigação completa. Mas a Hyundai assegura que, caso haja qualquer possibilidade de melhorar a segurança do HB20, isso sempre será levado em consideração”, indica.
 
Segundo o Latin NCAP, faz parte dos padrões da entidade testar por uma segunda vez, de forma regular e aleatória, um mesmo modelo já avaliado em testes patrocinados pela montadora, que paga os custos. Por isso são escolhidos aleatoriamente no pátio da fabricante número de carros suficientes para a realização da auditoria, cujo resultado só é divulgado quando existem diferenças para pior no segundo teste.
 
Foi o caso do HB20, que após o lançamento da segunda geração do modelo, em setembro de 2019, foi avaliado com quatro estrelas (a nota máxima é cinco) para ocupantes adultos e três para crianças. Contudo, algum tempo depois, na segunda bateria de crash tests, o veículo apresentou níveis mais baixos de absorção de impacto na colisão lateral, com danos severos apontados no tórax do dummy que simula um passageiro adulto.
 
Após o resultado, o Latin NCAP rebaixou a nota do HB20 para apenas uma estrela (manteve três para ocupantes infantis) e afirma que procurou a fabricante, mas não recebeu resposta. Com as diferenças apuradas nos dois testes, a entidade colocou em dúvida os processos de fabricação do veículo que poderiam resultar em carros com diferentes níveis de segurança. A Hyundai nega essa possibilidade: “Não houve qualquer mudança no processo de produção ou na especificação do veículo que possa justificar a extrema variação entre os dois testes realizados pelo Latin NCAP em menos de um ano”, diz o comunicado.
 
Segundo a fabricante, a produção do HB20 em Piracicaba segue os mesmos padrões adotados em outros lugares do mundo. “A Hyundai desenvolveu o HB20 originalmente para o Brasil e, posteriormente, passou a exportá-lo para países vizinhos, sempre com base na mesma qualidade global de todos os seus produtos”, diz a nota.
 

Fonte: automotivebusiness.com.br