NOTÍCIA

Volkswagen é a 1ª a usar peças de metal impressas em 3D

 
A Volkswagen é o primeiro fabricante de automóveis a utilizar o processo HP Metal Jet de impressão 3D de peças metálicas. A produção dos componentes foi viabilizada pela parceria com a fabricante de impressoras HP e a GKN Powder Metallurgy, que fornece o pó metálico utilizado como matéria-prima.
 
O processo foi apresentado na IMTS, feira internacional de manufatura realizada em Chicago. Com o novo método, as peças são impressas por camadas de pó metálico e depois aquecidas e endurecidas pelo processo de sinterização, este bastante difundido. Em processos anteriores de impressão 3D o endurecimento é feito pela utilização de laser. 
 
Segundo a Volkswagen, a tecnologia Metal Jet da HP permite a produção pela primeira vez de um grande número de peças usando a impressão 3D, eliminando a necessidade de desenvolvimento e produção de ferramentais e reduzindo assim o tempo necessário para a fabricação dos componentes. 
 
Isso torna o processo interessante para a produção de grandes quantidades em um curto período de tempo. Até pouco tempo, a impressão 3D só permitia a produção de protótipos ou peças individuais. 
 
Ainda de acordo com a montadora, o novo processo traz grande ganho em qualidade e produtividade. “A produção automotiva enfrenta grandes desafios. O consumidor espera cada vez mais opções de personalização e ao mesmo tempo cresce a quantidade de novos veículos à venda”, afirma o chefe de desenvolvimento de tecnologia da Volkswagen, Martin Goede.
 
“É preciso apostar em tecnologias de ponta capazes de garantir uma produção rápida e com qualidade. E a impressão 3D passa a desempenhar um papel importante na fabricação de peças individualizadas”, diz o executivo da Volkswagen.
 
Em colaboração com a HP e com a GKN, a Volkswagen está desenvolvendo a tecnologia para que os elementos de design possam ser impressos em uma pequena série no início. Este será o pré-requisito para poder produzir itens de design individualizados, como letras ou palavras na tampa traseira ou chaves-canivete personalizadas para o cliente. A intenção da montadora é oferecer essas opções de personalização o quanto antes.
 
"É claro que não haverá carros inteiros impressos em 3D tão cedo, mas o número e o tamanho das peças produzidas por esse método vão aumentar significativamente”, estima Martin Goede.
 
A intenção da Volkswagen é incluir peças estruturais impressas à próxima geração de veículos o mais rápido possível. A empresa estima que haverá um aumento contínuo do número de unidades, tamanho das peças e requisitos técnicos, com itens do tamanho de uma bola de futebol sendo reproduzidos em mais de 100 mil unidades por ano.

Fonte: automotivebusiness.com.br