NOTÍCIA

Ford reduzirá plataformas para apenas cinco arquiteturas modulares

 
Allan Mulally, ex-CEO da Ford, arquitetou um plano para reduzir enormemente os custos da montadora americana e ajudou a salvar a companhia da falência certa na crise econômica mundial de 2009. Única das Big Three que não pediu ajuda à Washington, a Ford tinha no plano One Ford, a globalização necessária para cortar os gastos com desenvolvimento e produção.
 
Agora, a meta da empresa é cortar US$ 25,5 bilhões ao longo de cinco anos e para isso, a Ford pretende reduzir as plataformas de nove para apenas cinco, que serão modulares. Até então não se sabia exatamente aonde elas atuariam, mas agora Hau Thai-Tang, chefe de desenvolvimento e compra de produtos, revelou quais as arquiteturas que seguirão na próxima década.
 
Thai-Tang disse: “Isso não está dizendo que a One Ford estava errada. Isso está se baseando na estratégia da One Ford e evoluindo a partir dela”, explica o executivo ao se referir à redução no portfólio de plataformas da empresa, dizendo ainda que a Ford não conseguiu reduzir os custos com escalas regionais ou localizadas nesse período, algo como produtos específicos para os mercados emergentes, por exemplo.
 
Agora, o plano é reduzir os custos em até 70% com as cinco plataformas modulares, que segundo Thai-Tang, serão assim: tração traseira/tração nas quatro rodas chassi, tração dianteira/tração integral monobloco, van comercial monobloco, tração traseira/tração integral monobloco e propulsão elétrica monobloco.
 
Pela descrição acima, podemos imaginar mais ou menos como a Ford pretende manter seu portfólio global, apesar de que ainda contará com regionalidades, como o recente Territory chinês. No primeiro caso, chassi de longarinas com tração 4×2 e 4×4, a Ford deve focar nos modelos F-150 e família, além da Ranger e derivados, lembrando que ainda deverá compartilhar componentes com a VW Amarok por volta de 2025.
 
No caso de tração dianteira e integral, a plataforma deve sustentar Focus e Fiesta. Provavelmente o próximo Ka deverá ser baseado nessa arquitetura de forma simplificada. No caso da van, a Transit deve também compartilhar elementos com a próxima VW Crafter e assim cortar ainda mais custos de desenvolvimento e produção.
 
Outro produto que será mantido é o Mustang, mas sua plataforma de tração traseira deverá sustentar um ou mais utilitários esportivos, que obviamente terão tração nas quatro rodas. Fala-se no Mach 1 como um SUV inspirado no muscle car, assim como a GM fez com a nova Chevrolet Blazer e igualmente com produção no México. Por fim, a plataforma elétrica para sustentar uma nova geração de autônomos da Ford.

Fonte: www.noticiasautomotivas.com.br