NOTÍCIA

Ford abre fábrica da F-150 e GM “infiltra” engenheiros da Silverado

 
A Ford F-150 da atual geração chamou a atenção dos demais fabricantes de picapes nos EUA, mais precisamente a General Motors. Afinal, como a eterna rival conseguiu fazer um veículo que normalmente tem de ser muito resistente com um material tão leve quanto o alumínio? Obviamente, o produto da marca de Dearborn mostrou ser possível realizar o feito, até então impensado para um veículo dessa categoria.
 
Mas, se a Ford já havia aparentemente resolvido a questão, a GM estava literalmente debruçada sobre como fazer suas Chevrolet Silverado e GMC Sierra perderem peso da mesma forma, mas sem ousarem tanto quanto à F-150? A questão ia desde os custos até a resistência, visto que a própria empresa (e também a Honda com sua monobloco Ridgeline) fizeram uma campanha em prol da resistência do aço.
 
Num mercado extremamente conservador, onde arroz com feijão não muda nunca, alterar o cardápio tão radicalmente como a Ford fez não estava nos planos da GM. Por isso, a engenharia foi colocada para queimar os neurônios e buscar uma forma de fazer Silverado e Sierra bem mais leves sem perder o aço. Claro, uma das respostas óbvias era o aço de alta resistência, mas ainda assim os engenheiros estavam em dúvidas sobre como a F-150 era feita com tanto alumínio, algo difícil de moldar.
 
Por isso, quando a Ford abriu a fábrica da F-150 em Dearborn, Michigan, para visitação pública, a GM “infiltrou” alguns engenheiros que estavam trabalhando na atual geração da Chevrolet Silverado e da irmã GMC Sierra. Ao entrar no quintal do concorrente, os “espiões” utilizaram cronômetros e olhos experientes para verificar passo a passo como era o processo de produção da picape.
 
Eles perceberam que a Ford tinha dificuldades de encaixar as portas de alumínio. Mas, além da visita monitorada, os engenheiros da GM também tiveram uma análise mais real de como elas (as portas) eram feitas, pois a montadora comprou diversas portas sobressalentes no mercado de autopeças para análise.
 
Após rasgarem diversas delas, a engenharia verificou que poderia trabalhar com portas mistas nas Silverado e Sierra de nova geração, utilizando aços de alta resistência e partes em alumínio. Tudo acabou virando um sanduíche com capô e tampa da caçamba em alumínio, outras partes mistas e até injeção de compostos de carbono nas molas, sempre objetivando cortar peso sem podar a resistência.
 
Como resultado, as Silverado e Sierra 1500 perderam 204 kg, sendo 40 kg só na estrutura da carroceria. O esforço parece ter sido bem válido, visto que recentemente a GM passou a Ford no total de picapes vendidas, embora a F-150 ainda reine como líder do segmento.

Fonte: www.noticiasautomotivas.com.br